Tenho algumas séries fotográficas que gosto de chamar de "pesquisas de léxico visual".

Não sei de onde vêm, nem sei para onde vão, mas são inquietações muito pessoais que traduzo para imagens de tempos em tempos.

Ao colocar Gezellig num site, me sinto quase nua. Essa é, com certeza, a minha busca mais pessoal por lugares que me acolham. Olhando essa coleção de paisagens, vão ficando nítidas as similaridades, limitações, visões de mundo e privilégios. Tem sido um processo de autoconhecimento e desconstrução entender, observar e buscar novos cenários .Gezellig tem sido sobre o espaço e sua qualidade de acolher os corpos.

Seguimos Vivas também é uma busca por casa, de alguma forma. Com uma bicicleta, uma barraca, poucas roupas e comida, estamos em visível vulnerabilidade frente a um mundo cada vez mais blindado. Acabamos por questionar a aparente segurança  que sentimos fora das cicloviagens, quando habitando esses lugares blindados.  Questionamos, por fim, um sistema que nos quer sem coragem. Seguimos Vivas tem sido sobre o sentimento do corpo no espaço.

Karma é um questionamento acerca da dor. Será que só somos capazes de transcender um obstáculo quando tomados por profundo desconforto? Quais são as dores que nos fazem caminhar? Quais dores são as que nos sustentam de pé e quais são as que nos fazem cair? É possível que dois corpos compartilhem da mesma dor?

Karma é a crença de que voltamos ao mundo com alguns encontros marcados e muito a transcender.

Sentidos da Pele é fruto de uma imersão realizada em 2019 junto ao fotógrafo Gal Oppido.

A imersão ocorreu no sítio Quetzal e contou com a produção de Lucilene Moreira.

Foram quatro dias de intensa produção artística, troca, e criação, que resultou em milhares de olhares fotográficos distintos. Aqui compartilho alguns de tantos resultados possíveis.

Escrita de cômodo é um termo cunhado pelo coreógrafo William Forsythe, The Room Writing. O corpo humano é a ferramenta que confecciona e delimita o espaço ao redor, e não o contrário. Através de danças mais ou menos fluídas se constroem paredes, portas, janelas e obstáculos. Escrita de cômodo tem sido uma busca sobre como o corpo rege o espaço e quais são os limites que tangem essa relação.